Niterói firma acordo com ONGs internacionais para elaborar plano de mobilidade

03/03/2016 - 14:03

post

Com foco na sustentabilidade, iniciativa vai orientar novas intervenções urbanas e também as que estão em andamento no município

16/03/2016 – A Prefeitura de Niterói assinou nesta terça-feira (15/3) três acordos de cooperação técnica para a elaboração do Plano de Mobilidade Urbana Sustentável (PMUS), cuja marca principal será priorizar o transporte público coletivo não motorizado. A iniciativa vai orientar, nos próximos anos, tanto as novas intervenções urbanas como as que estão em andamento, a exemplo da TransOceânica.

O PMUS incluirá diagnóstico e discussões públicas, entre outra etapas. O plano, com custo zero para o município, terá apoio das duas mais importantes ONGs de mobilidade urbana do mundo: a World Resources Institute (WRI, na sigla em inglês) e o Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP, na sigla em inglês). No Brasil, somente Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte tiveram planos de mobilidade com apoio do banco e das duas ONGs.ÂÂ
A assinatura do termo de cooperação foi às 17h, no Auditório da Prefeitura, e teve a mesa composta do vice-prefeito Axel Grael; da secretária de Urbanismo e Mobilidade, Verena Andreatta; do subsecretário de Urbanismo e Mobilidade, Renato Barandier; do diretor-presidente do WRI Brasil Cidades Sustentáveis, Luís Antonio Lindau; da diretora de Programas do ITDP, Ana Nassar; e do professor Rômulo Orrico, do Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Coppe/UFRJ) – além da presença de vários secretários e subsecretários na plateia.

“Mobilidade é o 4º item importante para o cidadão. Então agradeço as ONGs parceiras e aguardo a participação da população para concluirmos o plano, falou a secretária de Urbanismo”, Verena Andreatta.
O plano vai mapear os deslocamentos da cidade, considerando variáveis como área geográfica, número de veículos individuais e coletivos, malha cicloviária e horários de pico. Após esse diagnóstico, os dados servirão para apontar os principais pontos de congestionamento, quantidade de veículos trafegando na cidade, o espaço que eles ocupam nas vias públicas e a dimensão da área afetada pelo trânsito, entre outros indicadores.
Previsto na Política Nacional de Mobilidade Urbana, que institui o deslocamento ordenado de pessoas e veículos nas grandes cidades, o plano inclui a logística de transporte de cargas e descargas de mercadorias; a coordenação do tráfego de motocicletas e bicicletas; medidas de segurança no trânsito; criação de áreas de estacionamento; e desenvolvimento da mobilidade em locais carentes.
“Faremos um plano mais amplo, com foco no transporte público coletivo, na implantação de faixas exclusivas para ônibus e no incentivo à construção do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos), cujo estudo de viabilidade está em fase de elaboração”, esclarece o subsecretário de Urbanismo e Mobilidade, Renato Barandier. A elaboração do PMUS será financiada pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), com um investimento de US$ 100 mil. A conclusão do plano está prevista para o segundo semestre. Atualmente, três projetos de transporte estão em curso em Niterói: a construção da Transoceânica, o Programa Niterói de Bicicleta e o estudo para implantação do VLT.

O vice-prefeito Axel Grael, que representou o prefeito, finalizou o evento: “É um momento muito importante nesta caminhada que estamos fazendo para recuperarmos nosso atraso em termos de mobilidade em Niterói. É um plano que vai estabelecer as diretrizes para os próximos 10, 20 anos na cidade.”